Lançamento projeto 2016 no Salão de Motos do RGS

Bento Gonçalves  (RS) – O gaúcho Pedro de Moraes Sampaio de 17 anos, retornou ao Brasil após a participação em seis provas no continente Europeu no Campeonato Europeu Stock 600cc. Com etapa dupla em Aragon (Espanha), Assem (Holanda), Imola (Itália), Portimão (Portugal) e Misano (Itália).

Exceto em Aragon onde conseguiu fazer a pré temporada nos demais circuitos o piloto não conhecia nenhuma pista o que dificultou, neste primeiro ano, resultados melhores entre os 40 pilotos participantes da competição. Contando apenas com dois pilotos latino americanos, Maximiliando Gerardo do Uruguai Campeão uruguaio, argentino e brasileiro e Pedro Sampaio, vice campeão brasileiro e bi campeão gaucho em 2014, na categoria GP 600. 

A média dos resultados foi entre 24 a 28 colocação e para a temporada 2016 a estratégia será alterada com viagens de retorno ao Brasil para que possa treinar,o que não tem ocorrido na Europa

Nos meses de julho e agosto ocorre o recesso das competições européias e Pedro vai aproveitar para treinar no Brasil para disputar as duas ultimas etapas, na Espanha e a final na França, em outubro.

O piloto brasileiro, sentiu muito a falta de treinos que estava acostumado a praticar no Brasil:   “Fui para todas as provas confiante mas acertar o setup da moto em apenas duas entradas livres e um cronometrado também foi um obstáculo, houve também quedas em treinos impossibilitando que eu pudesse aproveitar o tempo já escasso de reconhecimento.  Estou muito satisfeito por ter concluido todas as etapas,  senti que a temporada na Europa seria um desafio com moto de outro modelo que eu estava acostumado, mas o crescimento acontece em vencer obstáculos, e estou me preparando para melhorar e buscar melhores resultados na próxima temporada.

O piloto defende a Equipe Team Brazil by ASPI e tem planos de em 2016 conciliar o campeonato Brasileiro e Gaúcho na GP 600.


Nos dias 18 a 26 de julho, o piloto vai estar no Salão de Motos do RGS , em Porto Alegre lançando seu projeto 2016 que visa buscar  recursos para mantê-lo competindo na Europa, cujo custo total é 100 mil euros anuais. Apareça e faça parte deste projeto !